João Barbosa nasceu em Soengas, Portugal, em 8 de fevereiro de 1676. Sua infância foi simples:
família pobre, cinco irmãs. Tomava conta do pequeno rebanho de ovelhas do pai.
Aos 28 anos, muda-se para a cidade do Porto onde se estabelece comercialmente. Com a febre do
ouro no Brasil, decide partir para a região de Minas Gerais, onde adquiriu fortuna e mudou-se para Parati,
no Rio de Janeiro. Fez parte da Irmandade do Santíssimo Sacramento e era conhecido em Parati pela sua
generosidade.
Uma noite, depara-se com uma pessoa caída na rua vítima de assaltantes. Socorre-o
encaminhando-o a uma estalagem e lá presta-lhe os socorros necessários. Durante a madrugada, através
da boca do doente, escuta um chamado de Jesus Cristo para trabalhar em favor dos que sofrem.
Sem hesitar, doa todos os seus bens e se apresenta à portaria do Convento de São Bernardino de
Sena, em Angra dos Reis. Veste o hábito dos franciscanos trocando seu nome para Fabiano de Cristo.
Em 1705 é transferido para o Convento de Santo Antonio, no Rio de Janeiro, para exercer a função
de porteiro. Condoía-se, particularmente, pelos pobres. Sempre havia um pedaço de pão, uma sopa, uma
palavra certa, um sorriso tão luminoso, pronto e gentil, que os espíritos se desarmavam e se entregavam a
Fabiano.
Por volta de 1708 recebe o cargo de enfermeiro e sem ter conhecimentos específicos trata dos
necessitados, confiando na providência divina, através da caridade.
Realizou este trabalho no Convento durante aproximadamente 38 anos, apesar de trazer em si
chagas de erisipela nas duas pernas. Nunca se ouviu dele o mínimo de queixa ou atitude de revolta, mesmo
não havendo na época medicação que combatesse a dor ou a inflamação.
Em 14 de Outubro de 1747, com três dias de antecedência, prevê seu desencarne, avisando seus
companheiros. Desencarna aos 71 anos, no dia 17 de outubro de 1747, mobilizando toda a cidade do Rio
de Janeiro.